OUÇA AO VIVO!
TOP 40 20:00h às 22:00h
Tempo nublado 21° | Vilhena - RO   00:00:00 | 07 de Agosto
OUÇA AO VIVO
TOP 40 20:00h às 22:00h
20/07/2022 13:07:05

TROMBOSE E TROMBOFILIAS: O que são? Grupos de risco e tratamentos

Toda vez que temos um sangramento após um corte ou uma batida, o nosso corpo ativo o sistema de coagulação. Ele aciona diferentes mecanismos para formar um coágulo ou um trombo, que bloqueia o vaso que está sangrando e, assim, interrompe o sangramento. Seria como se fosse uma rolha entupindo um buraco de um cano que está vazando. A trombose surge por um problema na regulação desse mecanismo, gerada por coágulos em excesso! Esses coágulos formados podem bloquear a passagem do sangue na própria veia onde surgiu causando sintomas locais, como na perna, gerando a chamada trombose venosa profunda, ou ser levado pelo sangue seguindo a circulação sanguínea até os pulmões, o chamado tromboembolismo pulmonar.

Trombofilia é o termo médico utilizado para denominar as condições que levam o organismo a formar coágulos em maior quantidade do que o normal. As trombofilias podem ter como causas as doenças genéticas e hereditárias, como fator V Leiden e mutação no gene da protrombina e também podem ser doenças que podem surgir ao longo da vida, como a síndrome do anticorpo antifosfolípide.

Quando suspeitar?

Primeiro: tromboses que ocorreram SEM ter algum fator daqueles fatores de risco que falei como viagem prolongada, procedimento cirúrgico, câncer em atividade, gestação e pós-parto.

Segundo: tromboses em locais poucos comuns de ocorrer. Os locais mais comuns são perna e pulmão. Quando ocorre uma trombose em lugares diferentes como vasos do sistema nervoso e vasos abdominais isso deve levantar a suspeita.

Terceiro: alguém na família que já teve trombose principalmente se teve quando ainda era jovem ou mesmo histórico familiar de trombofilia já diagnosticado.

E o quarto é para as mulheres com três ou mais abortos seguidos sem causa aparente. A trombofilia pode ser uma possível causa nesses casos e por isso, nessa situação deve ser investigada. Lembrando que existem muitas outras causas de aborto de repetição.

Se você tiver nessas situações você deve procurar um médico para correta avaliação e possível diagnóstico. O diagnóstico é feito pela história clínica e por exames de sangue específicos a depender do problema como pesquisas genéticas e avaliação detalhada da coagulação. 

O tratamento é feito por medicamentos, também conhecidos por anticoagulantes, que diminuem a capacidade de formação de novos coágulos pelo organismo. Pode ser usado por comprimido ou injeção na barriga e, a depender do caso, deve ser usado durante a vida inteira.

 

Foto: Divulgação

Fonte: Brasil 61

 

 




Notícias Relacionadas

© todos os direitos reservados
Desenvolvido por Billtech