Quinta-feira, 24 de Agosto de 2017

Boa tarde!

00:00:00

Início » Notícias » A irresponsabilidade e a impunidade alimentam as queimadas

A irresponsabilidade e a impunidade alimentam as queimadas

08 de Agosto de 2017

Gás carbônico, monóxido de carbono, óxidos nitrosos, hidrocarbonetos e material particulado são lançados na atmosfera, causando muitos danos à saúde.

O fenômeno é perto do inacreditável. Há décadas os órgãos ambientais – governos, entidades, instituições, ONGs… – se esmeram em berrar sobre o grande perigo das queimadas, não só com seus imensos riscos para os ecossistemas como, principalmente, para a saúde das pessoas.

 

O volume de informação que chegou aos produtores rurais de todos os tamanhos foi imenso. Mais que o suficiente para que todos entendessem o recado. Ficou claro, nessas décadas de orientações e ensinamentos, que as queimadas produzem matéria orgânica extremamente perigosa, além do risco do fogo em si mesmo.

 

Gás carbônico, monóxido de carbono, óxidos nitrosos, hidrocarbonetos e material particulado são lançados na atmosfera, causando muitos danos à saúde. Além disso, a fumaça e o fogo acarretam acidentes e perda de propriedades; prejudicam a aviação e os transportes.

 

O fogo, ao escapar do controle, atinge o patrimônio público e privado (florestas, cercas, linhas de transmissão e de telefonia, construções etc). Mata animais, mas mata também muitas pessoas. Imaginava-se que, com todos esses danos que causam, as queimadas seriam eliminadas. Não o foram e parece que ao invés de diminuírem, aumentaram.

 

Porto Velho, por exemplo, há vários dias amanhece enfumaçada. Já piorou no domingo, mas foi nessa segunda um dos piores dias dos últimos anos.

 

Parecia que toda a floresta no redor da cidade queimava, tal o fumacê que atacou a Capital, seus distritos e até outras localidades mais distantes. Os produtores que põem fogo, mesmo com todos os perigos que sabem que isso representa, estão mesmo se lixando para suas vidas (o que é um direito deles), mas principalmente para a vida dos outros, que eles desrespeitam e fazem de conta que nada vale. Eles sabem que as queimadas alteram e podem devastar ecossistemas; destroem a fauna e a flora; tomam o solo bem mais pobre; calcinam a superfície, reduzem a penetração de água no subsolo. Aterrorizam principalmente idosos e crianças, que superlotam os postos de saúde, com sérios problemas respiratórios.

 

Não há fiscalização; a impunidade campeia e quem não se preocupa com o meio ambiente e com a vida alheia, continua queimando criminosamente. Será que um dia viveremos num país em que as leis serão realmente cumpridas e os que se mantiverem no crime (como o fazem os que responsáveis pelas queimadas sem fim), irão para a cadeia? Certamente não será agora, mas quem sabe no futuro, quando formos um país decente?

 

HILDON CHEIO DE PLANOS

 

O prefeito Hildon Chaves está preparando uma série de ações, nessa reta final do seu primeiro ano de mandato. Muitas novas medidas, projetos e obras ainda estão em fase final de planejamento, mas várias outras já começaram a andar e terão andamento. Uma das primeiras inovações que a Prefeitura da Capital deve anunciar provavelmente ainda essa semana, será uma mudança radical no trânsito da área central de Porto Velho, com obras de alargamento da rua Duque de Caxias que se tornará um corredor de ônibus, desafogando o pesado trânsito das avenidas Calama e Carlos Gomes, por exemplo.

 

Desde que voltou de uma parada em que viajou ao exterior, a cabeça do Prefeito está voltada para cumprir todas as metas, algumas bastante ousadas, deste primeiro ano de administração. Já se pode observar melhorias bastante razoáveis em vários bairros, onde dezenas de obras estão andando ao mesmo tempo. Mas vem muito mais por aí, garante Hildon. Em breve, ele começará a contar as novidades para o porto velhense, esse sim, ávido de boas notícias, depois de muitos anos em que a cidade ficou estagnada.

 

INVASORES FORA!

 

Porto Velho vai assistir, de novo, a cenas tristes e lamentáveis, embora sejam produto de decisões judiciais e da necessidade do cumprimento da lei.

 

Dentro de alguns dias (daqui a duas semanas), a polícia vai cumprir mandado de reintegração de posse de um residencial que sequer foi concluído e que está invadido desde 2012. O Conjunto Cuniã, localizado na avenida Vieira Caúla, depois do Esperança da Comunidade, foi um daqueles empreendimentos do “Minha Casa, Minha Vida”, que não deram certo. Ainda praticamente com vários prédios só no esqueleto, foi invadido por várias famílias, que transformaram o local numa favela, vivendo sem qualquer estrutura e correndo o risco de desabamento. Mais de 150 apartamentos, em péssimas condições, abrigam centenas de pessoas.

 

A Semur, obrigada a cumprir a decisão da Justiça, vai disponibilizar caminhões e carregadores para ajudar as famílias na mudança. No vai e vem de decisões judiciais, outros empreendimentos também estão abandonados ou invadidos. Lamentável!

 

AS CACETADAS NO EX PADRE

 

O ex padre Ton Mariton, que chegou a ser deputado federal, depois de dois mandatos como prefeito em Alto Alegre dos Parecis, tentou acusar o juiz Sérgio Moro pelas redes sociais, escrevendo que o magistrado “destruiu o Brasil”! Se deu mal, o ex homem da batina, petista de quatro costados. Levou tanta cacetada nas opiniões postadas em contraponto ao seu comentário, que decidiu não retrucar. Embora deva se respeitar a posição do Padre Ton e de qualquer outro brasileiro que queira exprimir sua opinião, o pecado capital nesse tipo de comentário é óbvio: durante todo os governos petistas, em que os cofres públicos do país foram assaltados, Ton e outros representantes das esquerdas brasileiras não abriram a boca para protestar. Nem sequer para lembrar que o PT era o partido que defendia a lisura política e o rigoroso combate à corrupção. Então, esse é o caso emblemático. Como acreditar em quem nunca abriu a boca para condenar a destruição da economia do país e a roubalheira oficializada e que agora volta a se arvorar de defensor da anticorrupção?

 

QUEM AJUDOU NA FUGA?

 

Fonte respeitada do Governo contesta que a fuga havida no presídio de Ariquemes, tenha a ver com equipamentos e materiais que teriam sido escondidos pelos presos, que construíram a cadeia e que, uma semana depois da inauguração dela, fugiram num grupo dos 12 mais perigosos. Segundo a fonte, antes da transferência dos presos para o local, foi feita uma rígida varredura em cada centímetro do presídio, tanto na área externa quanto nas celas. Nada foi encontrado. Além disso, causa estranheza nos setores da segurança pública, que a fuga tenha acontecido antes sequer da primeira visita de familiares. Ou seja, a suspeita eventual de que algum familiar poderia ter levado ferramentas ou equipamentos que ajudariam na fuga, está descartada. Fica então no ar, a pergunta óbvia: quem teria ajudado os bandidos a fugir? Como eles tiveram acesso a ferramentas para cortar arame, serrar grades e tomar outras medidas para chegar às ruas, sem ajuda de alguém? Não merece uma extrema e profunda investigação, um caso como esse?

 

INJUSTIÇA DE CINCO ANOS

 

Quem anda soltando fogos, depois de ser injustiçado por cinco anos, é o ex prefeito de Alvorada do Oeste e hoje deputado estadual Laerte Gomes. Ele foi denunciado pelo Ministério Público por pretensas e graves irregularidades no transporte escolar da cidade, quando era o titular da Prefeitura. O Ministério Público chegou a anunciar que houvera desvios de mais de 9 milhões de reais. Nada disso, segundo o Tribunal de Contas do Estado. Tudo foi feito dentro da legalidade e algum eventual erro seria perfeitamente sanável. Jamais houve prejuízo ao erário público, concluiu o TCE. O deputado Laerte Gomes e os demais citados na acusação , comprovaram no processo de que se houve eventuais erros, eles foram formais, “como ocorre em qualquer administração pública”, lembrou o parlamentar, mas lamentou o que chamou de “destruição moral” que a propagação midiática causou aos envolvidos, à época, da Operação Olimpo. Por isso é sempre bom respeitar o andamento dos processos, antes de se partir para condenações públicas. Agora, inocentado, o número de notícias dadas dizendo que Laerte e os outros denunciados não praticaram crime algum, é 10 por cento do que o alarde que o condenou, injustamente, há cinco anos!

 

NAVIO DESGOVERNADO

 

Segue, num curso que não se sabe onde chegará ao final da rota, a batalha do procurador geral da República, Rodrigo Janot, claramente agora atuando politicamente, em defesa dos interesses do grupo petista e dos aliados de Lula e Dilma, para tentar tirar o presidente Michel Temer do Poder. No mesmo barco, está a Rede Globo, com o mais parcial e faccioso noticiário da sua história, tentando derrubar o Presidente da República. Mesmo ameaçando publicamente os políticos que estão ao lado de Temer, em suas matérias, de transformá-los em vilões perante a opinião pública, a mais poderosa rede de TV da América Latina não tem conseguido seu intento. Não que Temer não mereça tudo o que está passando. Pelo contrário. Deveria era estar preso, como deveriam também estar Lula e todos os demais corruptos. O problema é que Janot e os amigos de Lula, querem fazer de conta que Temer não foi eleito democraticamente, como o foi Dilma e que ela não foi cassada por cometer crime. Querem impor ideologicamente mudanças Constitucionais que se adequem aos seus interesses. Felizmente, até agora, esse grupo só têm sofrido derrotas.

 

PERGUNTINHA

 

O que você acha da posição da presidente nacional do PT, a senadora Gleisi Hoffmann, tão querida pela grande maioria do povo brasileiro, em apoiar incondicionalmente o governo de Nicolás Maduro, na Venezuela?

 

Fonte: Sérgio Pires

Compartilhe esta notícia
A irresponsabilidade e a impunidade alimentam as queimadas


Onda Sul de Rondônia

Apoiamos causas contra a divulgação de materiais ilegais, caluniosos, danosos, abusivos, ameaçadores, discriminatórios, terroristas, vulgares, obscenos ou ainda condenáveis de qualquer tipo ou natureza que sejam prejudiciais a menores.
Onda Sul de Rondônia - Um noticiário a serviço da comunidade
Desenvolvido por Tecmarte & Guiaking © Copyright 2013 - Todos os diretos estão reservados
Site desenvolvido por